Que seja orgulho e não mortalha

VI Existe um povo que a bandeira empresta P’ra cobrir tanta infâmia e cobardia!… E deixa-a transformar-se nessa festa Em manto impuro de bacante fria!… Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta, Que impudente na gávea tripudia? Silêncio. Musa… chora, e chora tanto Que o pavilhão se lave no teu pranto!… Auriverde pendão…

Artigo Completo – Política Cultural e Gestão Participativa

Artigo publicado na Revista POLÍTICAS CULTURAIS EM REVISTA em 2012 em parceria com o amigo e mestre Luiz Augusto F. Rodrigues O presente ensaio busca conceituar Políticas Culturais, com o intuito de estabelecer as possibilidades inerentes a este tipo de política e traçar um esboço reflexivo dos padrões políticos da cultura no Brasil atual, através…

Sobre Flores

A gente pensa um monte de coisas e faz pouco não é?  Andei pensando… Sempre esperamos que um pouco além do momento/lugar/posição que estamos agora exista o bom, o bonito, aquilo que nos fará feliz. Então os momentos passam, os lugares se perdem, as posições trocam e trocam novamente e fica sempre no futuro aquela…

História da Fotografia

  A luz, por onde tudo começou Para que possamos compreender o fenômeno da fotografia, é necessário conhecer algumas propriedades físicas da luz. A luz é uma forma de energia eletromagnética radiante, à qual nossos olhos são sensíveis. A maneira como a vemos e como a fotografamos é diretamente afetada por duas importantes características da luz: ela viaja…

Poema em Linha Reta (Álvaro Campos – Fernando Pessoa)   Nunca conheci quem tivesse levado porrada.  Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.  E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,  Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,  Indesculpavelmente sujo.  Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,  Eu,…